SILVA, Aquilino Domingo da

Resumo:

Chacao estado de Caracas, Venezuela, 29/01/1967 -

Músico, maestro, professor, orquestrador e compositor. Aquilino da Silva contribuiu de forma prolífica para a vida artística madeirense com inúmeras orquestrações para bandas e a regência de agrupamentos musicais como: a Banda Municipal do Funchal, a Orquestra Ligeira da Madeira; Banda Distrital do Funchal; Banda do Gabinete Coordenador de Educação Artística; Orquestra de Sopros; Big Band; Dixieland Jazz Band; Pestana´s Big Band e a Black & White Dixieland Jazz Band.

Biografia:

aquilinoAquilino Domingo da Silva nasceu a 29 de Janeiro de 1967, em S. Juan, Chacao, estado de Caracas, Venezuela. Filho de madeirenses em criança veio viver para a região, obtendo a nacionalidade portuguesa aos 18 anos.
Por influência de seu pai, executante de sax-trompa na Banda Recreio Camponês durante 22 anos herdou o gosto pela arte musical. Assim, Aquilino Da Silva iniciou os seus estudos musicais em trompete aos 12 anos, com o mestre João Figueira Quintal, na Banda Recreio Camponês, que integrou entre 1980 e 1988.
Enquanto esteve na referida banda o jovem músico frequentou o Curso Integrado de Música - Curso Geral de Trompete, no Conservatório Escola das Artes da Madeira, com o professor Manuel Rosa.
Entre os seus mentores, para além do professor Manuel Rosa, o músico Aquilino da Silva destaca: Yuriy Kononenko, também na aprendizagem de tromepte; formação musical com Maria Augusta Perestrelo, Agostinho Henriques, Carlos Gonçalves, João Luís Abreu e Inês Clode; composição com Raul Serrão e João Atanasio; História da Música e Acústica, também com Inês Clode; Grupo Coral com João Atanasio.
O músico refere também outras influências marcantes na sua vida artística como “a participação no Seminário Estoril Jazz 91, com Terence Blanchard, músico compositor de jazz e autor da banda sonora do filme ‘Malcolm X’; o pedagogo Pierre Van Hauve e outros músicos internacionais como James Last, Glenn Miller e Arturo Sandoval. A sua formação com incidência sobre o jazz revela o estilo preferencial do seu trabalho: o jazz ligado ao DixielandI.
Em 1988, após a sua formação académica Aquilino da Silva dedica-se à Educação Musical enquanto professor, no entanto apenas em 1995 obtém a profissionalização em Educação Musical do Ensino Preparatório. Em 2010 conclui o Mestrado em Ensino de Educação Musical no Ensino Básico, pela Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal. Para a concretização do mestrado desenvolveu o projeto de investigação Improvisação na Sala de Aula.

 

Como professor de Educação Musical do 2º ciclo lecionou em várias escolas da Região Autónoma da Madeira e foi também professor de trompete, bombardino e tuba no Gabinete Coordenador de Educação Artística e no Conservatório Escola das Artes da Madeira.
Desde 2007 encontra-se destacado na Associação Cultural e Musical Xarabanda, onde realiza a transcrição musical do Cancioneiro Madeirense.
Quanto à sua colaboração em agrupamentos musicais foi regente na Orquestra Ligeira da Madeira (1984-1988); Banda Distrital do Funchal (1980-1996); Banda do Gabinete Coordenador de Educação Artística, da qual foi fundador (1993-1998); Orquestra de Sopros, Big Band e Dixieland Jazz Band do Conservatório Escola das Artes da Madeira, dos quais foi também fundador. Presentemente dirige a Pestana´s Big Band; Black & White Dixieland Jazz Band; e a Banda Municipal do Funchal.
Em paralelo com a sua atividade de regente também integrou grupos musicais como executante de trompete: Dixie Fun e Orquestra de Música de Câmara da Madeira.
No domínio da composição e arranjos estreou-se quando ainda estava na Banda Recreio Camponês, em 1981, com o arranjo de Patchouli, na época um sucesso do rock português. A partir deste trabalho começou a modificar os arranjos já feitos para a Banda Recreio Camponês. Presentemente efetua arranjos musicais para os grupos que dirige.
Na obra publicada de Aquilino da Silva destaca-se com maior relevância Pérolas da Minha Vida, um trabalho apresentado no 15º Encontro de Bandas, gravado em CD.
O maestro detém uma significativa listagem de obras e arranjos musicais: marcha do 159º e 160º aniversário da Banda Municipal do Funchal; cinco marchas de aniversário para a Banda Distrital do Funchal; duas marchas para o Encontro Regional de Bandas Filarmónicas; e mais de 600 arranjos para a Big Band, Dixieland Band, Orquestra de Sopros, outras orquestras de música ligeira e coros.
Como trompetista e maestro Aquilino da Silva gravou CD’s com vários agrupamentos musicais: Gestual Sonoro, com Vítor Sardinha; Tony Cruz Canta Madeira Sunshine; Seance, com Nuno Filipe; Grupos do Gabinete Coordenador de Educação Artística, como maestro da Banda Juvenil; e o CD Rostos e Traços das Bandas Filarmónicas Madeirenses, no qual também participou como maestro.

 

Autoria:

Sousa, Teresa (2011). “Aquilino Domingo da Silva”. Realizado no âmbito da Disciplina Ciências Musicais VI, integrada no plano curricular da Licenciatura em Educação Musical, do Instituto Superior de Ciências Educativas, Universidade da Madeira.

Atualização:

Ventura, Ana (2011). “SILVA, Aquilino Domingo da”. Dicionário Online de Músicos na Madeira. Funchal: Divisão de Investigação e Documentação, Gabinete Coordenador de Educação Artística, atualizado em 31/08/2011.

Música:

 

Pérolas da Minha Vida  
Marcha, sobre o 159º aniversário da Banda Municipal do Funchal  
Marcha, sobre o 160º aniversário da Banda Municipal do Funchal  
Marcha, sobre aniversário da Banda Distrital do Funchal  
Marcha, para o Encontro Regional de Bandas Filarmónicas  



Bibliografia:

Banda Municipal do Funchal (2011). Maestro Aquilino da Silva. Acedido em 03 de Julho de 2011: http://www.artistas-funchalenses.org/maestro.asp

Sardinha, V. & Camacho, R. (2001). Rostos e Traços das Bandas Filarmónicas
Madeirenses. Funchal: Associação Musical e Cultural Xarabanda.

Curriculum Vitae cedido por Aquilino Domingo da Silva em Julho 2011.

Silva, A. D. (2011). Acedido a 03 de Julho de 2011 em http://correcaminhos.blogs.sapo.pt/119916.html.

Notas de Referência:

IO género musical Dixieland remonta aos primórdios do jazz num estilo que une as “Canções de Trabalho”, os “Spirituals” dos ex-escravos que se fixaram nas grandes cidades americanas, no início de século XX e a música de influência europeia tocada nos salões da sociedade.
Scholes, P. (1964). Dicionario Oxford de la Musica: Dixie. Versão traduzida do original The Oxford Companion To Music. Argentina: Buenos Aires, Editorial Sudamericana, p. 423.

Located in: Biografias
Powered by SobiPro

TOP 5 - Biblioteca Digital

Galeria

Subscrever Newsletter